Endoscopia Digestiva Alta

O que é Endoscopia Digestiva Alta?

O exame indicado para avaliação diagnóstica e, quando necessário, tratamento das doenças da parte superior do tubo digestivo, incluindo o esôfago, o estômago e a porção inicial do duodeno. É realizado após a administração de medicações intravenosas, que são responsáveis pela sedação e “depois que o paciente começa a dormir” é introduzindo através da boca um aparelho flexível com câmera e iluminação na extremidade distal, que permite a visualização de todo o trajeto examinado, e a imagem é transmitida para um monitor. Do início ao fim, o paciente recebe monitoramento cardíaco e fica conectado a uma fonte de oxigênio. Se necessário, pequenas amostras de tecido (biópsias) podem ser coletadas durante o exame para análise microscópica detalhada, porém não dói. Na presença de lesões elevadas (como os pólipos), o médico poderá realizar, dependendo do caso, a retirada da lesão (polipectomia) durante o exame. Caso não haja intercorrências, a duração média do procedimento diagnóstico é de 20 minutos, podendo necessitar de mais tempo, caso seja necessário algum procedimento terapêutico. A pesquisa de Helicobacter pylori pelo método da urease faz parte da endoscopia.

Quando e quem deve fazer endoscopia?

Indivíduos com queixas como azia, queimação, falta de apetite, sensação de estufamento e perda de peso que persistem por mais de uma semana podem ter indicação para fazer o exame. A endoscopia também pode ser indicada como forma de detecção tumores precocemente, em especial os de esôfago e de estômago. Pacientes que sofreram qualquer tipo de cirurgia no estômago também devem começar a fazer o exame cinco anos após o procedimento cirúrgico. Na dúvida, sempre consulte o especialista.

Agende o seu procedimento na Wescope.

Agendar agora

Cuidados para realizar a endoscopia digestiva alta

Quando for agendar o exame, informe todos os medicamentos de uso rotineiro. Em alguns casos poderá haver alguma orientação especial sobre o uso desses remédios antes do procedimento endoscópico. Informe também se possui alguma doença já conhecida. Alguns medicamentos, como anticoagulantes, precisam ser suspensos antes do exame conforme abaixo, sempre com a concordância do seu médico. Por favor, nos informe em caso de uso das seguintes medicações:

  •  Anticoagulantes - Varfarina (Marevan® e Coumadin®), Clopidogrel (Plavix®, Plagrel® e Iscover®), Prasugrel (Effient®), Ticlopidina (Ticlid®) e Ticagrelor (Brilinta®),  Dabigatrana (Pradaxa®), Rivaroxabana(Xarelto®), Apixabana (Eliquis®) Edoxabana (Lixiana®) e Enoxaparina (Clexane®).
  • Análogos do GLP - Liraglutida (Victoza®, Saxenda®), Dulaglutida (Trulicity®), Semaglutida (Ozempic®, Wegovy®).

Usuários de marca-passo devem reprogramar o dispositivo com seu cardiologista antes do exame. Para usuários portadores de CDI (cardiodesfibrilador implantável) o procedimento deve ser realizado em ambiente hospitalar.

No dia anterior, consumir somente alimentos leves, de rápida digestão, preferencialmente líquidos ou pastosos, como sopas e caldos. No dia do exame é extremamente importante o jejum de no mínimo 8 horas (inclusive de água). Se houver necessidade do uso de alguma medicação antes do exame (por exemplo: anti-hipertensivos), você deve tomá-la com pequenos goles de água. Não faça uso de leite ou de antiácidos antes do exame. 

É necessário trazer acompanhante (maiores de 18 anos e com até 70 anos), além da documentação solicitada no momento da marcação e a solicitação do médico-assistente. 

Caso você seja diabético, marque o exame para o horário mais cedo possível e deixe para fazer uso de insulina após o exame e próximo à primeira refeição do dia, ou conforme orientação de seu médico.

Evite comparecer com unhas pintadas, porque o esmalte prejudica a monitorização da oxigenação sangüínea durante o exame. Antes do exame, é necessário o preenchimento da ficha de admissão e do termo de consentimento informado. Nossa equipe estará disponível para explicar o procedimento e responder todas as suas dúvidas. Se você já realizou outro exame de endoscopia, informe previamente, principalmente se teve alergias ou reações a qualquer medicação. Você precisará remover seus óculos, próteses dentárias e adornos metálicos. Mulheres que estão amamentando podem realizar o exame, porém devem ficar pelo menos seis horas após o exame sem amamentar.

Em algumas situações, o exame precisa ser realizado sob sedação assistida com anestesista, tais como: crianças entre menores de 12 anos, pacientes com 80 anos ou mais a critério do médico endoscopista, pacientes com importante apneia do sono e usuários de CPAP, pacientes em hemodiálise, gestantes ou alérgicos a Latex, portadores de doenças sistêmicas descompensadas, ou consideradas de risco pela equipe médica (como usuários de Oxigênio suplementar e insuficiência cardíaca grave). Pacientes com menos de 18 anos, o acompanhante, obrigatoriamente, deve ser um responsável legal (pai, mãe ou tutor). Bebidas alcoólicas não devem ser ingeridas nas 24 horas que antecedem o exame. Se o exame de endoscopia digestiva alta for realizado junto com a colonoscopia, deve-se seguir somente as orientações de preparo da colonoscopia.

Orientações após o procedimento

Normalmente a recuperação após o exame requer um período de repouso inferior a uma hora, podendo posteriormente receber a alta. É importante que esteja acompanhado por um adulto responsável que lhe possa prestar algum auxílio, uma vez que a medicação poderá afetar a sua capacidade de raciocínio, decisão e reflexos durante o resto do dia. Não poderá dirigir motos ou carros, nem voltar na carona de motos. Além disso, deve evitar tarefas que necessitem de atenção, tais como mexer com máquinas e objetos cortantes. No dia seguinte ao exame, você poderá retornar às suas atividades rotineiras.

Após o exame recomendamos uma dieta mais leve (evitar alimentos muito gordurosos), e evitar ingerir bebidas alcoólicas por pelo menos 12 horas. Também é normal sentir um leve desconforto na garganta após o exame. Você poderá retornar a fazer uso de suas medicações, a menos que o médico tenha fornecido alguma orientação especial. Quando são realizadas biópsias, pode ser notado um leve desconforto, que habitualmente é passageiro. Em caso de haver qualquer outro sintoma, deve-se entrar em contato conosco.

Riscos do procedimento

A endoscopia digestiva alta é um exame seguro. No entanto, como todo ato médico, ela não é isenta de riscos. A complicação mais frequente é flebite (dor e inchaço no trajeto da veia puncionada). Complicações mais sérias são muito raras ocorrendo em menos de 0,2% dos casos, podendo estar relacionadas ao emprego de medicamentos sedativos ou ao próprio procedimento endoscópico, incluindo complicações de natureza cardiorrespiratória, como depressão respiratória com diminuição na oxigenação sanguínea e alterações no ritmo cardíaco (bradicardia e taquicardia) e na pressão arterial sistêmica (hipotensão e hipertensão). Esses efeitos colaterais são constantemente monitorizados durante o exame com o uso de monitor de oxigenação sanguínea e de controle da frequência e ritmo cardíaco, estando nossa equipe habilitada para o tratamento imediato de qualquer um desses eventos adversos. Outras complicações da endoscopia digestiva alta, tais como perfuração e sangramento são raras em exames diagnósticos, podendo ocorrer nos procedimentos terapêuticos como retirada de corpo estranho (espinha de peixe, osso), dilatação de estenoses (estreitamentos), ligadura elástica ou esclerose de varizes e retirada de lesões (polipectomia ou mucosectomia).

Observações extras

Quando realizada em condições insatisfatórias, devido a preparo inadequado, a endoscopia é cobrada normalmente e apresenta, como resultado, um laudo, informando que uma parte dos segmentos de interesse não pôde ser estudada por conta da presença de resíduos.

Caso haja necessidade da realização de biópsias ou ressecção de pólipos, cauterização de hemorragias ou colocação de clipes, haverá a inclusão e cobrança dos exames anatomopatológicos de cada lesão diferente que for biopsiada e de cada pólipo retirado, bem como do procedimento de retirada dos pólipos (polipectomia ou mucosectomia) e procedimento de tratamento de sangramento (hemostasia), se necessário. Muitas vezes só é possível saber isso durante a realização do procedimento. Dessa forma, recomendamos que antes de iniciar o exame, o cliente se informe na recepção, sobre os valores de tais procedimentos.